Mundo

Suspeito russo de bitcoin arrisca extradição dos EUA por ‘engano’ – advogado – CMIO

A França deportou o empresário russo de criptomoedas Aleksandr Vinnik para a Grécia, o que pode entregá-lo aos EUA, diz seu advogado

Aleksandr Vinnik, um empresário russo de criptomoedas suspeito de fraude na Rússia e nos EUA, foi enviado para a Grécia, disse seu advogado francês à mídia russa na quinta-feira. Frederic Belo acredita que a mudança pode ser parte de um esquema elaborado para eventualmente extraditar seu cliente para os Estados Unidos.

Vinnik, um especialista russo em tecnologia blockchain, foi preso na Grécia em 2017 a pedido do governo dos EUA, que o acusou de lavar entre US$ 4 bilhões e US$ 9 bilhões por meio da extinta plataforma de negociação de criptomoedas BTC-e.

Em 2019, a Suprema Corte da Grécia ordenou a extradição de Vinnik para a França, onde também foi acusado de lavagem de dinheiro. O homem foi então considerado culpado e condenado a cinco anos de prisão. Sua pena de prisão terminou no final de junho, mas as autoridades francesas se recusaram a deixá-lo em liberdade, apesar dos apelos de seu advogado.

As autoridades francesas supostamente planearam “secretamente” devolvê-lo à Grécia no final de junho, mas o Tribunal Europeu de Direitos Humanos (ECHR) bloqueou a mudança, disse Belo à agência de notícias RIA Novosti.


Suspeito de 'fraude Bitcoin' rejeita acordo com EUA e quer ser julgado na Rússia

Na quinta-feira, ele foi colocado em um voo com destino à Grécia, disse o advogado. Em meados de junho, os EUA retiraram o pedido de extradição de Vinnik, que havia sido apresentado às autoridades francesas, abrindo caminho para sua deportação de volta à Grécia. No entanto, segundo Belo, isso pode ter sido parte de um elaborado “manobra enganosa” que acabaria por ver o empresário russo entregue aos EUA.

“A Grécia pode potencialmente extraditar Vinnik para os EUA, para a Califórnia, São Francisco em curto prazo”, disse Belo.

Se Atenas aceitar o pedido de extradição de Washington, Vinnik pode pegar até 55 anos atrás das grades. O suspeito negou irregularidades, dizendo que o caso contra ele não passava de uma armação dos EUA.

Vinnik disse anteriormente a seus advogados que gostaria de ser extraditado para a Rússia e julgado lá, para ficar perto de sua família. Ele também disse estar pronto para cooperar com os investigadores russos. As autoridades de Moscou suspeitam que ele tenha obtido ilegalmente 750 milhões de rublos (US$ 12,2 milhões) por meio de “fraude de informações de computador” e roubar 600.000 rublos (US$ 9.780).

Em 2018, Vinnik afirmou que poderia esclarecer outros crimes envolvendo criptomoedas, acrescentando que a divulgação dessas informações poderia colocar sua vida em perigo.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.