Mundo

Primeiras mortes por varíola fora da África relatadas — CMIO

Um homem de 41 anos morreu de varíola no Brasil, enquanto a Espanha também relatou sua primeira morte pela doença na sexta-feira. Estas são as primeiras fatalidades conhecidas fora da África, onde a varíola dos macacos é endêmica.

De acordo com um comunicado do Ministério da Saúde brasileiro, citado pela mídia local, o paciente falecido tinha um sistema imunológico debilitado e sofria de linfoma, entre outras doenças.

“Ele estava internado em um hospital público de Belo Horizonte e depois foi levado para os cuidados intensivos. A causa da morte foi choque séptico, agravado pela varíola dos macacos”, disse o ministério.

As autoridades de saúde do estado de Minas Gerais, onde o paciente estava internado, disseram que ele morreu na quinta-feira.


EUA líder mundial em casos de varíola

Enquanto isso, na sexta-feira à noite, o Ministério da Saúde espanhol confirmou a primeira morte por varíola no país, marcando assim a primeira na Europa. Em seu último relatório, o ministério revelou que dos 3.750 pacientes com varíola na Espanha para os quais há informações disponíveis, 120 foram hospitalizados (3,2%) e um já morreu. As autoridades não forneceram qualquer informação adicional sobre o falecido.

A Organização Mundial da Saúde, que recentemente declarou o surto de varíola de 2022 uma emergência de saúde global, até agora havia relatado cinco mortes, todas em países africanos.

Enquanto isso, o número de novos casos em todo o mundo continua a crescer. Em 28 de julho, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA relataram um total de 21.148 casos em 78 países, dos quais quase 21.000 estão em países “que historicamente não relataram varíola dos macacos”.

Os EUA lideram o número de casos globalmente, com quase 5.000 infecções relatadas.

Monkeypox é semelhante à varíola humana, que foi erradicada em 1980, e é endêmica em partes da África Ocidental e Central. Seus sintomas iniciais incluem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfonodos inchados, calafrios e exaustão, e os afetados desenvolvem lesões cutâneas distintas.

Segundo a OMS, o atual surto de varíola dos macacos “concentra-se entre os homens que fazem sexo com homens, especialmente aqueles com múltiplos parceiros sexuais”.

No entanto, recentemente, os primeiros casos de varíola dos macacos foram relatados em crianças. Uma vacina combinada para a varíola e a varíola dos macacos está em produção e foi distribuída nas principais cidades dos EUA, Reino Unido e vários países europeus.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.