Mundo

Em carta, Brasil e Argentina reconhecem que ONU deve ser a mediadora da paz entre Rússia e Ucrânia

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report







O documento reafirma os princípios da Organização dos Estados Americanos (OEA) e trata de temas como direitos humanos, meio ambiente, fluxos migratórios e o papel das mulheres em questões de Defesa.
Um ponto polêmico da carta foi a inclusão de uma crítica à operação militar especial da Rússia na Ucrânia. A manobra, realizada pelos Estados Unidos, acabou não sendo muito bem-sucedida e dividiu os países americanos, que expressaram suas divergências em notas de ressalva no próprio documento.
Panorama internacional

Estados Unidos empurram Kiev para provocações diretas contra Rússia, diz Lavrov

O artigo 2º da declaração diz o seguinte: “Os conflitos presentes em todo o mundo, como a invasão da Ucrânia e os atos de violência exercidos por grupos armados que terrorizam a população no Haiti, não são os meios legítimos para se resolver as disputas, de modo que os Estados-membros da CMDA (Conferência de Ministros de Defesa das Américas) esperam uma solução pacífica tão pronto seja possível”.
Brasil, Argentina e México se colocaram contra a inclusão desse parágrafo e apontaram que “reconhecem a Organização das Nações Unidas [ONU] como o foro adequado para tratar do conflito na Ucrânia”. O México chegou a dizer que não é possível aderir ao artigo em questão.
Por outro lado, sete países fizeram questão de manifestar uma “reprovação de maneira incisiva” do que consideram uma “invasão ilegal, injustificável e não provocada da Ucrânia”. Nesse grupo estão Estados Unidos, Canadá, Guatemala, Haiti, Paraguai, República Dominicana e Colômbia — ainda sob a gestão de Iván Duque.
Bandeira da Rússia do lado de fora da embaixada russa em Washington, EUA, 24 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.05.2022

Panorama internacional

Rússia vai cooperar com países da América Latina não obstante seu status na OEA, diz embaixada



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.