Mundo

Comissão Europeia propõe aos países-membros reduzir o consumo de gás em até 15%


A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, apresentou nesta quarta-feira (20) um plano de poupança de gás intitulado “Economize gás para um inverno seguro” que prevê uma redução voluntária do consumo em até 15% pelos países-membros.
O plano, descrito como um “instrumento de emergência”, estipula que, a partir de agosto, todos os Estados europeus devem tentar reduzir em 15% o consumo de gás até abril de 2023.
Embora seja uma decisão voluntária, a medida pode se tornar obrigatória no caso do agravamento da situação energética da União Europeia (UE). A medida está sendo tomada em um momento em que “há um risco substancial de uma interrupção abrupta de gás ou [quando] ocorre uma demanda excepcionalmente alta que leva a uma deterioração significativa no fornecimento de gás”.
“A Rússia está nos chantageando. A Rússia usa a energia como arma. E assim, no caso de um corte parcial significativo do gás russo ou um corte total, a Europa deve estar preparada”, destacou a presidente do órgão executivo.
Panorama internacional

UE não consegue substituir gás russo se Nord Stream 1 permanecer fechado, alerta especialista

“Devemos abordar nossa segurança energética no nível da União Europeia”, escreveu von der Leyen em sua conta no Twitter. “Então, vamos agir juntos para reduzir o uso de gás e fornecer uma rede de segurança para todos os países da UE”, acrescentou.
Os países da UE vão abordar a medida em uma reunião extraordinária de ministros da Energia no próximo dia 26 de julho.

‘Que culpa tem a Gazprom?’

Em 11 de julho, a empresa Nord Stream AG suspendeu temporariamente o fornecimento de gás da Rússia para a Europa através do gasoduto Nord Stream 1 (Corrente do Norte 1), devido a operações de manutenção preventiva anual programadas.
Em resposta às acusações na sequência da redução do abastecimento de energia russo, o presidente Vladimir Putin sublinhou na terça-feira (19) que a empresa estatal de energia Gazprom sempre cumpriu as suas obrigações e pretende continuar a fazê-lo. Segundo o presidente, os países europeus subestimaram “a importância das fontes tradicionais de energia e optaram por fontes não tradicionais”.
A isso, somaram-se também as sanções antirrussas, quando o Canadá se recusou a devolver uma turbina que estava em reparo à Gazprom. Se a turbina – importante para o bombeamento de gás – não for entregue, a Rússia não vai conseguir atender ao bombeamento de mais de 30 milhões de metros cúbicos por dia. “Que culpa tem a Gazprom?”, perguntou o presidente.
O presidente russo, Vladimir Putin, participa de coletiva de imprensa após encontro em Teerã, Irã, 19 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.07.2022

Panorama internacional

Putin diz que Gazprom continuará cumprindo suas obrigações sobre o fornecimento de gás





Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor




Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.