Mundo

Loja da Apple se sindicaliza primeiro nos EUA — CMIO

Os funcionários da loja Towson Town Center da Apple, no estado de Maryland, votaram pela sindicalização, formando o primeiro sindicato dos trabalhadores da empresa nos EUA após a conclusão de uma votação no sábado. Com 65 votos a favor e 33 contra, eles se juntaram à Associação Internacional de Maquinistas e Trabalhadores Aeroespaciais.

Os organizadores dos funcionários, que se autodenominavam CORE Apple (Coalition of Organized Retail Employees), disseram que estavam buscando direitos expandidos em salários, definição de horas, justiça e segurança. Robert Martinez Jr., presidente do sindicato dos pais, pediu ao CEO da Apple, Tim Cook, que “respeitar os resultados das eleições e acelerar um primeiro contrato para o [International Association of Machinists] Funcionários CORE da Apple em Towson.


Trabalhadores da Amazon formam primeiro sindicato dos EUA

Em uma carta à empresa no mês passado, os funcionários declararam que não estavam tentando “criar conflito com a gestão” mas procurou sindicalizar “por causa de um profundo amor pelo nosso papel como trabalhadores dentro da empresa e pelo cuidado com a própria empresa.”

Os trabalhadores citaram preocupações de segurança relacionadas à pandemia de Covid-19 e questões financeiras, como compensação que não acompanha a inflação, como razões para apoiar a sindicalização além da vantagem sindical típica de negociar a partir de uma posição de força coletiva.

Semelhante aos gigantes da tecnologia Amazon e Tesla, a Apple tem sido hostil aos esforços de sindicalização entre suas fileiras e contratou advogados antissindicais em um esforço para anular tais iniciativas. A empresa supostamente distribuiu pontos de discussão antissindicais aos gerentes, lembrando-os de que a Apple oferece fortes compensações e benefícios, incluindo uma taxa de pagamento base de US$ 20 por hora e “flexibilidade” a administração insiste que será perdido se os trabalhadores se sindicalizarem.

As lideranças das lojas e das corporações também foram convocadas para dar palestras aos funcionários sobre os males da sindicalização em reuniões às quais os trabalhadores eram obrigados a participar, uma tática controversa, mas legal, conhecida como ‘reuniões de audiência cativa’.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO:
Apple e Meta cedem dados de clientes – mídia

A Apple frustrou uma tentativa semelhante de sindicalização em uma loja de Atlanta em maio, onde os organizadores alegaram que o comportamento da empresa tornou impossível realizar uma eleição justa. Trabalhadores em outros lugares, inclusive na loja do World Trade Center da empresa em Nova York, reclamaram que, além de realizar reuniões de audiência cativa, a administração também se envolveu em comportamento ilegal, como interrogar funcionários e proibir a postagem de panfletos pró-sindicato.

Outros esforços de sindicalização estão em andamento na loja da Apple na Grand Central Station da cidade de Nova York e em uma loja da Apple em Louisville, Kentucky.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.