Mundo

Berlim não vai nacionalizar unidade da Gazprom confiscada – mídia — CMIO

O chanceler Scholz supostamente rejeitou o plano para evitar irritar o presidente Putin

O governo alemão está planejando fornecer um empréstimo de € 10 bilhões (US$ 10,4 bilhões) para resgatar a unidade local da gigante estatal russa de energia Gazprom, que foi apreendida pelo regulador de energia do país em abril, informou a Bloomberg.

Na terça-feira, o governo disse em comunicado enviado por e-mail que o banco estatal KfW Group forneceria o empréstimo, parte do qual poderia eventualmente ser convertido em participação direta sob uma nova forma de tutela. O valor exato não foi fornecido.

A Gazprom Germania, uma subsidiária da gigante russa de gás Gazprom, costumava operar algumas das maiores instalações de armazenamento de gás natural do país. A empresa foi apreendida como parte das sanções relacionadas à Ucrânia à Rússia. Em resposta, a Gazprom deixou de fornecer gás à empresa, que chegava a cerca de 10 bilhões de metros cúbicos por dia, e em 11 de maio, a Gazprom Germania foi alvo de sanções da Rússia. A empresa foi posteriormente evitada por parceiros comerciais e enfrentou problemas de liquidez, arriscando o colapso dos principais varejistas de gás na Alemanha e no Reino Unido.


Rússia rejeita pagamento de gás – mídia

“Com essa abordagem, o governo federal mantém sua influência nessa parte da infraestrutura de energia crítica e evita que a segurança energética seja ameaçada”. diz a declaração vista pela agência.

Sob o novo esquema, que visa ajudar a estabilizar as finanças da Gazprom Germania, a tutela será estendida para além do final de setembro, quando deveria expirar. O nome da empresa será alterado para Securing Energy for Europe GmbH.

Espera-se que o plano garanta a segurança do fornecimento depois que a Rússia restringiu os embarques de gás em retaliação à apreensão da empresa e de suas subsidiárias pela Alemanha, bem como para evitar a insolvência da empresa e “um efeito cascata no mercado”.

Anteriormente, o ministro da Economia alemão, Robert Habeck, pressionou por uma nacionalização total da empresa para facilitar um novo começo. No entanto, a medida foi anulada pelo chanceler Olaf Scholz, disseram pessoas familiarizadas com o assunto à Bloomberg, acrescentando que ele está preocupado que a nacionalização possa irritar o presidente russo, Vladimir Putin.

Para mais matérias sobre economia e finanças, visite a seção de negócios da RT

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Verificado por RJ983

Conteúdo traduzido

Ver fonte

Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.