Mundo

EUA acusam Cuba de usar polêmica em torno da Cúpula das Américas como estratégia de propaganda

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report







O governo Biden nesta quinta-feira (19) acusou Cuba de alimentar polêmica sobre sua possível exclusão da Cúpula das Américas sediada pelos Estados Unidos no próximo mês para retratar Washington como o “cara mau” e desviar a atenção do histórico de direitos humanos em Havana, segundo a Reuters.
Falando em uma conferência na América Latina, Kerri Hannan, subsecretária de Estado Adjunta para Assuntos do Hemisfério Ocidental (WHA na sigla em inglês), disse que os países que ameaçaram pular a reunião regional se Cuba, Venezuela e Nicarágua não forem convidados deveriam comparecer ou perderiam a oportunidade de se envolver com os Estados Unidos, relata a mídia.
Um possível boicote à cúpula de 6 a 10 de junho por um número crescente de líderes, incluindo o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, aumentou o risco de constrangimento para o presidente Joe Biden, que sediará a reunião em Los Angeles.

© AFP 2022 / MANDEL NGANPresidentes de Cuba (Raúl Castro) e Estados Unidos (Barack Obama) se encontraram durante a 7ª Cúpula das Américas, realizada em abril, no Panamá

Presidentes de Cuba (Raúl Castro) e Estados Unidos (Barack Obama) se encontraram durante a 7ª Cúpula das Américas, realizada em abril, no Panamá
Na terça-feira passada (10), disse em uma coletiva de imprensa que, se os EUA excluírem Cuba da reunião, o governo mexicano enviará uma delegação, mas o presidente não participará, conforme noticiado.
A Casa Branca disse que ainda não enviou convites e se recusou a fornecer detalhes. No entanto, um alto funcionário do Departamento de Estado disse em abril que Cuba, Nicarágua e Venezuela provavelmente seriam excluídos porque não demonstraram respeito pela democracia.
Jair Bolsonaro em Georgetown - Guiana, 6 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 10.05.2022

Notícias do Brasil

Reuters: Bolsonaro planeja não ir à Cúpula das Américas organizada por Biden

Na semana passada, também foi ventilado pela agência que talvez o presidente, Jair Bolsonaro (PL), não compareça ao evento, porém o motivo não foi especificado.
O líder da Guatemala, Alejandro Giammattei, disse na terça-feira (17) que não compareceria, um dia depois de os Estados Unidos criticarem a renomeação de um procurador-geral ligado à corrupção.
Já ontem (18), o chefe de Estado da Nicarágua, Eduardo Ortega, afirmou que a cúpula não estimula seu governo e que não está interessada a subir ao “cume dos ianques”.



Este conteúdo foi verificado por RJ-2309 RJ-0292 RJ-0958

CMIO confirmou esta notícia. Fonte;

Via Sputnik News- IMG Autor

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.