Mundo

“Eles viraram para o lado errado”: por que a economia da Moldávia está entrando em colapso rapidamente

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






MOSCOU, 17 de maio – RIA Novosti, Mikhail Katkov. A Moldávia bate recordes de inflação: em abril foi de 27% e espera-se até o final do verão 31. A oposição acusa a presidente Maia Sandu de incompetência e, em resposta, ela proíbe as fitas de São Jorge. Sobre para onde este país do Leste Europeu está indo e por que sua economia está à beira do colapso – no material da RIA Novosti.
Queda de Sandu
Maia Sandu tem uma classificação de 39,9%, segundo a CBS Research. O ex-chefe da república e presidente honorário do Partido Socialista Igor Dodon tem aproximadamente o mesmo número – 39,6. E seu antirating é quase o mesmo: 46,8 e 47,2%.
Se as eleições parlamentares fossem realizadas agora, o partido PAS de Sandu ganharia 29,1% e perderia a maioria no parlamento. Para efeito de comparação: em 2021 foi de 52,8. Por sua vez, o bloco de socialistas e comunistas seria apoiado por 37,8% (ano passado – 27,17). A pesquisa foi realizada de 27 de abril a 6 de maio, 1.111 pessoas participaram. O erro é de três por cento.
A recente proibição da fita de São Jorge foi aprovada por 30,5% dos entrevistados, enquanto 51,4% se opuseram.
© Sputnik / Dmitry Terekhov / Ir ao photobankUm comício contra a proibição da fita de São Jorge em Chisinau
Manifestação contra a proibição da fita de St. George em Chisinau
A oposição declarou imediatamente que ignoraria essa proibição. Na manhã de 9 de maio, 17 deputados do parlamento com fitas de São Jorge no peito saíram às ruas. Entre eles estavam Igor Dodon e outro ex-presidente Vladimir Voronin, que lideram o bloco parlamentar de comunistas e socialistas. No Dia da Vitória, ninguém foi detido, mas o chefe da Inspetoria Geral de Polícia, Viorel Cernauteanu, disse que esses políticos deveriam ser privados de sua imunidade e uma multa de nove mil lei (32,9 mil rublos) deveria ser cobrada deles .
Maia Sandu considera “absurdo” que deputados não possam ser punidos. “Uma coisa é a liberdade de expressão, outra é a incapacidade de multar”, enfatizou.
As pessoas estão muito nervosas com os rumores de que a Moldávia será arrastada para o conflito na Ucrânia. Cerca de 90% dos cidadãos são a favor da neutralidade, mas o governo de Sandu não esconde sua simpatia por Kiev. Entretanto, desde o final de abril, houve pelo menos cinco provocações armadas na Transnístria, nas quais a Ucrânia pode estar envolvida. Assim, na noite de 13 de maio, desconhecidos jogaram coquetéis molotov em um depósito de petróleo e em um escritório de registro e alistamento militar em Tiraspol.
© Foto : Ministério da Administração Interna da PMR
Funcionários do Ministério da Administração Interna da PMR junto ao edifício do cartório de registo e alistamento militar republicano
Cinco problemas
É claro que as convulsões políticas afetaram a economia. Em abril, a inflação bateu recorde histórico para a república – 27,07%. Para comparação: na Rússia foi de 17,6% e na Ucrânia – 16%. O Banco Nacional da Moldávia alerta que no terceiro trimestre pode haver 31%.
Igor Dodon ressalta: o governo não está fazendo nada, exceto resolver problemas socioeconômicos. Vladimir Voronin pediu a demissão dos ministros. A ex-primeira-ministra e presidente do Partido da Unificação e Desenvolvimento, Ion Chicu, acredita que Sandu poderia tirar o país da crise se continuasse a implementar os projetos de infraestrutura de seus antecessores, mas não consegue.
Os problemas na economia começaram com a pandemia de coronavírus, e agora a situação foi agravada pelo conflito no Donbass. A Rússia e a Ucrânia são os principais parceiros comerciais da república. No outono assinamos um novo contrato com a Gazprom. Se antes Chisinau pagava US$ 148 por mil metros cúbicos, agora existe uma fórmula especial. Como resultado, o preço subiu de US$ 465 em novembro para US$ 1.160 em abril.
Em janeiro, o gás para a população aumentou 38% – até 15,18 lei (55,5 rublos) por metro cúbico. Mas ainda não há dinheiro suficiente para pagar a dívida de US$ 709 milhões com a Gazprom, então os moldavos foram solicitados a pagar um adiantamento por vários meses. No final de março, os preços dos alimentos subiram 27%, óleo diesel – 22,1, gasolina – 11,4. Na primavera, os agricultores alertaram que o mau tempo e o aumento dos custos de plantio podem levar a uma crise alimentar.
© AP Photo / Aurel Obreja Gasodutos da rede nacional de distribuição de gás na Moldávia
Oleodutos da rede nacional de distribuição de gás na Moldávia
Além disso, um fluxo de refugiados entrou na UE através da Moldávia. Mais de 390.000 ucranianos entraram no país e quase 100.000 decidiram ficar. Em março, as autoridades gastaram US$ 13 milhões em deslocados internos.
Maia Sandu pediu dez milhões à UE e espera receber mais. Por outro lado, queixa-se da Gazprom, que, na sua opinião, não foi por acaso que se lembrou da dívida justamente no momento em que os preços do combustível azul se revelaram inacessíveis para Chisinau.
O colapso da economia
Em termos de inflação, a Moldávia lidera na Europa, e isso é apenas o começo. Doutora em Ciências Políticas, Professora da Academia Russa de Economia Nacional e Administração Pública Natalya Kharitonova teme que a república enfrente um colapso econômico completo.
“Talvez as exortações vazias dos europeus contra o pano de fundo da ausência de propostas específicas para superar a crise obriguem a elite governante moldava a ter um olhar um pouco mais sóbrio sobre a situação com os parceiros”, argumenta o especialista. “Mas Chisinau não é pronto para admitir publicamente que, sem gás barato, o colapso da alimentação e do mercado de trabalho russo é inevitável. O país mais pobre da Europa está pagando o preço pelos jogos geopolíticos de sua liderança.”
No ano, a renda real da população diminuiu 12%, enquanto as tarifas de serviços públicos aumentaram. O apoio ao atual governo está enfraquecendo e os concorrentes não estão de braços cruzados.
© AFP 2022 / Daniel Mihailescu Uma mulher vende ervas em um mercado em Chisinau, Moldávia
Uma mulher vende ervas em um mercado em Chisinau, Moldávia
Os moldavos veem tentativas da Ucrânia e do Ocidente de envolvê-los em um conflito aberto. “Mais cedo ou mais tarde, o governo Sandu cometerá um grave erro, cujos resultados, superpostos a tais sentimentos, se transformarão em consequências fatais para a elite dominante”, acredita Kharitonova.
A operação especial da Rússia na Ucrânia pode ser uma janela de oportunidade para a Moldávia, mas as autoridades teimosamente se recusam a usar essa chance, afirma o analista político Igor Tulyantsev. Em vez disso, o presidente do parlamento da república, Igor Grosu, veio a Kiev, onde discutiu a transferência de caças MiG-29, e em Chisinau a fita de São Jorge foi proibida, assim como os símbolos Z ou V.
“Nos primeiros dias do conflito, Sandu tentou se comportar de forma mais correta, mas autoridades dos EUA e da UE a visitavam regularmente. Aos poucos, a retórica do presidente mudou”, observa o especialista.
Segundo ele, devido à neutralidade, seria possível atrair investimentos, organizar uma plataforma de negociação em Chisinau para Moscou e Kiev, abrir um aeroporto, fazer um hub para refugiados com dinheiro europeu. Mas a mente só era suficiente para seguir o rastro do Ocidente coletivo. E esse caminho, a julgar pelos acontecimentos das últimas semanas, pode ser desastroso para o país.

Dodon: Catástrofe econômica aguarda a Moldávia se o preço do gás triplicar



Conteúdo traduzido por RJ983

Agência RIA Novosti – Verificado

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.