Criptomoedas

À medida que a fusão se aproxima, as exchanges de criptomoedas competem para oferecer staking de Ether

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Como o Ethereum está programado para executar ‘The Merge’ entre 10 e 20 de setembro, as principais exchanges de criptomoedas começaram a oferecer aos usuários a capacidade de apostar seu Ether. Binance, Coinbase e Kraken anunciaram serviços de staking de Ether, oferecendo incentivos para atrair usuários para o serviço.

Após ‘The Merge’, a rede blockchain Ethereum passará de um mecanismo de consenso de prova de trabalho para um mecanismo de consenso de prova de participação. O processo dará origem ao Ethereum 2.0, que se acredita ser mais rápido, mais barato e mais ecológico.

Principais conclusões

  • Várias exchanges de criptomoedas estão oferecendo staking de Ether antes do The Merge.
  • O staking de Ether está disponível em exchanges de criptomoedas populares, como Binance, Coinbase e Kraken.
  • A fusão é um dos eventos mais esperados da história do Ethereum, e os investidores estão prestando muita atenção ao preço do Ether.

As exchanges oferecem fortes rendimentos para atrair apostas

A Binance.US oferecerá aos usuários ganhos passivos com um rendimento percentual anual (APY) de 6%, permitindo que os usuários apostem seu Ether em um clique. A Kraken também lançou o serviço de staking, embora o retorno varie de 4 a 7%. Ambas as exchanges observam que os usuários não poderão liberar seu Ether apostado, o que só acontecerá após a conclusão da primeira fase do Ethereum 2.0.

Enquanto isso, a Coinbase anunciou o Coinbase Wrapped Staked ETH (cbETH), que representa os tokens ETH apostados pela Coinbase. Ao contrário de Binance e Kraken, o cbETH pode ser vendido e negociado fora da plataforma. Ele não rastreia o preço do Ether, mas representa o ETH apostado e os juros acumulados a partir de 16 de junho de 2022. O que a Coinbase está oferecendo é o staking líquido, que permite aos usuários apostar fundos, mas ainda ter acesso a eles.

Vários staking pools do Ethereum também estão se preparando para a fusão. A grande maioria do Ether apostado é contabilizado por grandes entidades. Mais de 30% do ETH apostado é detido pela Lido Finance, 15% pela Coinbase, 8% pela Kraken e 7% pela Binance.

Ether Staking deve se tornar mais fácil para investidores de varejo

A capacidade de apostar em ETH foi lançada no ano passado, mas impediu muitos investidores de ingressarem devido à alta barreira de entrada. É necessário um mínimo de 32 Ether para ser apostado, além de executar um nó.

Com as exchanges agora oferecendo serviços de staking, será muito mais fácil para o investidor médio apostar em Ether e ganhar juros. Essa tem sido uma demanda dos investidores, e é provável que mais exchanges comecem a oferecer staking de Ether. Parece haver um grande benefício, principalmente no caso do cbETH da Coinbase, pois permite que os usuários usem seu token fora da plataforma ou o vendam.

A linha inferior

Como a fusão é um dos maiores eventos da história das criptomoedas, é compreensível que haja muita empolgação entre a comunidade de criptomoedas. A rede fará a transição para Proof-of-Stake, reduzindo seu consumo de energia em mais de 99%. Os críticos argumentam que as blockchains de prova de trabalho consomem muita energia, e isso acaba com essas críticas.

Claro, mesmo com essa crítica fora do caminho, haverá escrutínio das redes e seus produtos. O próprio Ethereum pode estar enfrentando revisão da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC). O presidente da SEC, Gary Gensler, disse muitas vezes que o Ether é segurança, embora não tenha havido uma decisão definitiva sobre esse assunto. Existem alguns especialistas que acreditam que a mudança para a prova de participação pode provar que o Ether é segurança. Mesmo com essas alegações e especulações, determinar se o Ether é considerado um título levará tempo.

Disclaimer: Notícias antecipadas trazidas do exterior – RJ983

Traduzido do original – fonte

  Fact-checking   Autentic   DMCA   Report






Mostrar mais

CMIO

Conselho de Mídia Independente - Grupo independente, de atuação jornalística; baseado em SP. Replica e elabora conhecimentos e assuntos de utilidade pública.

Artigos relacionados

Adblock Detected.

Desative seu AdBlock para poder acessar o conteúdo gratuito. Disable your AdBlock.