Cientistas descobrem cogumelo com potencial antibacteriano

Um grupo de cientistas descobriu uma nova espécie de cogumelo em um parque nacional no Sul do Equador, que tem potencial antibacteriano, especialmente para inibir uma bactéria causadora de doenças como a diarreia, pneumonia e meningite.

O Instituto Nacional de Biodiversidade (Inabio) do Equador informou que se trata do Gloeocystidiellum lojanense, espécie de corticóide com potencial antibacteriano contra a Escherichia coli (E.coli)

A descoberta foi feita por investigadores do Inabio e das universidades Técnica Particular de Loja (TPL), do Equador, e das belgas de Lieja e Lovaina. A espécie foi encontrada no setor de Cajanuma, no Parque Nacional Podocarpus, uma reserva de biodiversidade na província andina de Loja, no Sul do país.

Os pesquisadores Andrea Jaramillo-Riofrío, Cony Decock, Juan Pablo Suárez, Ángel Benítez, Gabriel Castillo e Darío Cruz detalharam, em publicação científica, a nova espécie e informaram que ela “mostrou atividade antibacteriana contra os quatro tipos da espécie E.coli”.

Uma ação inibidora do cogumelo sobre a bactéria “pode ser atribuída ao fato de essas cepas de E.coli serem menos virulentas e resistentes”, mostrou o Inabio.

Acrescentou que micro-organismos patógenos, como bactérias, cogumelos e vírus, causam infecções e problemas de saúde pública, pela alta taxa de mudanças genéticas, mecanismos de resistência ou uso incorreto e excessivo de antimicrobianos no tratamento.

Além disso, detalhou que “a resistência bacteriana aos antibióticos aumenta as taxas de infecção, como, por exemplo, as bactérias Gram-negativas incidem em 61,3% dos casos, as Gram-positivas (34,8%), leveduras (2%) e outras cepas (1,9%), principalmente em países em desenvolvimento”.

De acordo com o estudo, a família das bactérias Enterobacteriaceae ou Gram-negativas “é o grupo maior e mais heterogêneo de importância clínica causadora de infecções em humanos, principalmente por gêneros como Citrobacter, Enterobacter, Escherichia, Klebsiella, Proteus, Serratia, Shigella e Salmonela”.

O Inabio informou ainda que, “entre essas infecções, 80% correspondem a trato urinário, pneumonia, diarreia, meningite, sepsis e choque endotóxico”, ao abordar o potencial para a saúde humana da nova espécie de cogumelo encontrada no Parque Nacional Podocarpus.

O Equador, considerado um dos países com mais diversidade do planeta, detém grande diversidade de cogumelos que requerem investigação, pelo seu potencial bioativo e pelas possíveis aplicações em campos como o da saúde humana.

“Os cogumelos constituem grupo promissor de interesse para a procura de compostos bioativos, além de ser um grupo de organismos muito diversos, com estimativa entre 1,5 milhão a 5 milhões, dos quais apenas uma pequena porção (100 mil) foi descrita”, destacou o instituto.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Veja na fonte oficial – IMG Autor