Martino deixa comando do México após eliminação na 1ª fase da Copa

O técnico da seleção do México, Tata Martino, aceitou a responsabilidade total pela eliminação da equipe na fase de grupos da Copa do Mundo do Catar e disse que não prorrogará seu contrato com a Federação Mexicana de Futebol (FMF) depois que a seleção mexicana perdeu a vaga nas oitavas de final no saldo de gols.

A vitória do México por 2 a 1 sobre a Arábia Saudita se mostrou insuficiente, pois os mexicanos foram eliminados do torneio após terminarem em terceiro lugar, atrás da Polônia, pagando o preço por não conseguir marcar gols em seus dois primeiros jogos no Grupo C – um empate sem gols com a Polônia e uma derrota por 2 a 0 para a Argentina.

Com a Argentina derrotando a Polônia por 2 a 0 e o México liderando pelo mesmo placar contra a Arábia Saudita, a equipe de Martino precisava de mais um gol para evitar a eliminação pelo critério de desempate de fair play.

Mas o gol de consolação de Salem Al-Dawsari nos acréscimos significou a eliminação mais rápida do México de uma Copa do Mundo desde 1978.

Martino assumiu o comando da seleção do México em janeiro de 2019 e foi incumbido de alcançar a meta que os havia escapado por mais de três décadas: as quartas de final da Copa do Mundo. Eles chegaram a essa fase pela última vez quando sediaram o torneio, em 1986.

Os centro-americanos haviam avançado para a fase de mata-mata em suas sete participações posteriores na competição, mas saíram nas últimas 16 fases em todas as Copas do Mundo desde 1994.

“Eu sou responsável por esta decepção. É uma grande tristeza e assumo toda a responsabilidade por este enorme fracasso”, disse Martino, cujo contrato venceria após a campanha do México na Copa do Mundo. “Já se passaram oito Copas do Mundo desde que isto aconteceu. Meu contrato expirou com o apito final e não há mais nada a fazer”. “Durante nosso jogo desta noite, a superioridade do México foi mostrada durante todo o jogo. Com a Polônia, não fomos capazes de mostrar a superioridade que tínhamos. Com a Argentina, poderíamos ter enfrentado o segundo tempo com nosso estilo habitual”, disse.

Sabendo que uma vitória por pelo menos uma margem de três gols lhes daria uma chance de avançar, o México dominou o jogo com a Arábia Saudita e parecia estar no caminho certo depois de fazer 2 x 0 com sete minutos de jogo no segundo tempo, graças a Henry Martin e Luis Chávez.

O goleiro da Arábia Saudita Mohammed Al-Owais fez uma série de excelentes defesas para frustrar o ataque mexicano, enquanto Hirving Lozano e Uriel Antuna, que saiu do banco de reservas, tiveram seus gols anulados por impedimento enquanto a equipe de Martino procurava em vão pelo terceiro gol.

“Foi por isso que fomos em busca dele e trouxemos dois centroavantes, foi necessário naquele momento por causa do outro resultado. Sabíamos que a Polônia tinha menos cartões amarelos”, disse Martino. “Já tínhamos avaliado que, a menos que muitos jogadores (da Polônia) recebessem cartões, este resultado significava que ainda estávamos fora”. “Mas falhamos e não creio que tenhamos sido eliminados nas partidas anteriores, mas sim hoje. Esta é a realidade. Estamos em uma posição de fragilidade porque estamos fora da Copa do Mundo”, disse.

* É proibida a reprodução deste conteúdo.

Veja na fonte oficial – IMG Autor